conteúdo da página

Diário de Bordo #013 – Prontos para ir para a água

Prontos para ir para a água. Só que não.

Os dias estão passando rapidamente, a vontade de ir para a água crescendo. Os dois problemas que estavam na lista de prioridade para serem resolvidos antes do barco voltar para a água, resolvidos.

Agora o que falta para irmos de fato para a água ? Experiência.

Então após discutirmos um pouco a respeito resolvemos ir em busca de uma pessoa com experiência de vela e que possa vir conosco nos primeiros dias.

Fizemos um cadastro em um site findacrew.net que busca tripulantes ou que busca veleiros. (risos).

Explicando melhor, quem tem veleiro e procura por uma tripulação e ou quem é tripulante e procura por uma opção em um veleiro, se você tem interesse em ter experiência e não tem um veleiro, você pode se candidatar a ser um tripulante em uma embarcação de outra pessoa. É muito interessante. Ao mesmo tempo existe um grupo no facebook que faz a mesma coisa, find crew be crew, acabaram se as desculpas. Agora você pode ir em busca de realizar o sonho de velejar a um custo muito baixo.

Nós fizemos uma chamada e não demorou muito algumas pessoas se candidataram, acabamos nos entendendo com um Rapaz brasileiro que tem experiência e está velejando no Panamá. Combinamos que voltar com ele para o Panamá seria muito bom.

No dia 1 de fevereiro o nosso Capitão chegou na marina Bradford, Lucio Spanghero Ferreira 48 anos, veleja desde menino mas está na labuta a 8 anos e passou das 20.000 milhas náuticas navegadas.

Estamos pra lá de felizes em recebe-lo a bordo como parte da tripulação, agora se tornou parte da família.

A primeira providência do nosso Capitão, conferir todo o barco, verificar os estais, inspecionar todos os buracos que o casco tem, e não são poucos, você imagina que o casco de um barco não pode ter buraco algum não é mesmo? só que tem sim, e são elas saídas e entradas de água dos banheiros e da cozinha, saída da água que resfria o motor, saída das duas bombas de porão. E algumas outras, se for pensar bem, tem muitos buracos no casco.

Conferência geral feita o capitão nos sugeriu algumas ações que deveríamos fazer para aproveitar que o barco está fora da água e evitar custos em um futuro próximo.

Uma delas pintar o fundo, a pintura ainda está boa poderíamos aguardar mais alguns meses mas isso significa ter um custo alto em menos de 6 meses, melhor aproveitar agora que o barco já está fora da água. Isso nos joga para um horizonte de um ano e meio a dois anos para refazer a pintura.

A outra orientação que ele nos dá é a respeito daquele cano que nos deu tanto trabalho da bomba de porão. Temos que voltar com o registro ou torneira para logo na saída.

O risco de deixar o provisório para sempre é grande demais, não vamos facilitar. A tarefa ingrata ficou marcada para o dia seguinte, nada de soluções provisórias no veleiro, ponto.

Em meio a tantos afazeres, recebemos um convite para conhecer uma ponta da ilha de Grand Bahamas que ainda não passamos, não que conhecemos muito de Freeport porque até o momento nossas saídas se resumiram a idas ao supermercado e outras obrigações, então podemos considerar que é a primeira volta turística que fazemos.

Kevin que trabalha na portaria da Marina veio nos buscar as 4 horas da tarde, ele foi pontual, que sorte do Lúcio, logo no dia de estreia dele na ilha uma oportunidade para uma volta turística.

O dia estava maravilhoso apesar do vento muito forte e a temperatura baixando, uma oportunidade como essa é para festejar, o passeio foi lindo e terminamos a noite regada a carne e cerveja.

 

 

No dia seguinte começamos a atacar os detalhes que o capitão Lúcio sugere, o primeiro deles voltar o registro para logo na saída do cano de escoamento da água do porão, assim em qualquer eventualidade evitamos que a água sifone por lá, passamos o dia todo nesta função. Quanto aos outros detalhes, não são tantos assim, e a previsão do clima para estes próximos dias é de que os ventos muito fortes continuem, nada bom para ir para a água com esse tempo, excelente para aproveitarmos estes dias, logo estaremos de fato indo para a água e vivendo nossa primeira experiência com nosso veleiro no Mar das Bahamas.

até o Diário de Bordo #014

voltar para o Diário de Bordo #012

voltar para o Diário de Bordo #001

 

2 thoughts on “Diário de Bordo #013 – Prontos para ir para a água

  • 12 de fevereiro de 2021 em 2:48 PM
    Permalink

    Agora vai!
    Com um marujo tarimbado é certeza que terão menos problemas.
    Sorte grande encontrar um brasileiro pra ajudar voces.
    Boas velejadas.

    Resposta
    • 12 de fevereiro de 2021 em 9:47 PM
      Permalink

      isso, esta é a ideia, agora vai, obrigado

      Resposta

Deixe uma resposta