conteúdo da página

Quanto custa viajar de MotorHome – parte 2

No primeiro post sobre este assunto, falamos dos custos financeiros de uma viagem de MotorHome, para conferir basta clicar aqui.

No entanto, penso que quando se fala em MotorHome existem outros custos a serem considerados, se mal administrados o custo pode ser muito alto.

Estou falando do custo emocional.

Sim, o MotorHome cobra um preço emocional das pessoas que se envolvem com ele e pouco é falado sobre esse custo.

Em nossas aventuras, ouvimos muito a frase “meu sonho”. Este sonho está 99% das vezes associado a um sentimento de liberdade. Quando pensam em MotorHome, pensam em “viver livres”

O que é liberdade. Na maioria das vezes associado a falar, agir e pensar o que quiser, ter a sensação de estar solto e não depender de ninguém, nem de dar satisfação a nada e nem ninguém, ser autônomo e espontâneo, desde que não prejudique outra pessoa não há problema algum.

Só que isso é utopia

 

O Preço da “Liberdade”

 

O espaço em um MotorHome é restrito, divide-se literalmente tudo, até mesmo o ar que se respira o tempo todo, imagine ter um parceiro com flatulência, quanto mais pessoas, mais conflito eminente.

Um quer ficar, o outro quer seguir, um quer ir para o sul, o outro para o norte, um quer procurar lugares quentes o outro frio, um quer ir para o mar o outro para as montanhas e por ai vai. Assim como em um navio, o melhor é ter um capitão mas ele não pode ser um ditador, isso estraga a viagem toda.

Para se movimentar dentro do MotorHome precisa de negociação, sempre terá alguém no seu caminho, seja indo ao banheiro ou ao quarto. A solução para melhorar um pouco seria adquirir um motorhome muito grande que provavelmente trará outras limitações, tipo deslocamento em cidades pequenas com ruas estreitas e encontrar bons lugares para estacionar.

Se a ideia é se mudar em definitivo para dentro de um MotorHome sem um endereço fixo para acomodar as coisas, então terá que praticar o desapego, a começar pelas roupas e sapatos, nem falo de bijouterias e maquiagem, depois vem utensílios domésticos, livros etc.

Para pessoas jovens pode ser mais tranquilo, para quem acumulou mais itens, normal para quem tem mais idade, muito mais complicado, o que fazer com o excesso de ferramentas, não da para levar tudo.

“Mas eu colecionei estas coisas por tanto tempo, agora vou ter que me desfazer? E você, do que você está abrindo mão?”

Acha que acabou os fatores que provocam conflitos emocionais?

Não acabou, tem um que precisei de muita opinião para aprender a controlar para não provocar conflitos desnecessários, tem tudo a ver com nossa vida moderna. A internet, não me refiro apenas ao alcance do Wi-Fi, pois o lugar que se pretende estacionar para uma pernoite nem sempre é favorável ao alcance deste, existem ao longo do caminho sombras, ou seja, nem mesmo os dados funcionam, estou falando de 3G ou 4G, dependendo da sua urgência e da velocidade que o motorista trafega, este fator pode causar muitos conflitos.

Os gatilhos emocionais também são acionados quando afetam um lado bem sensível em muitas pessoas, o orçamento. Se for limitado, e provavelmente será, vai precisar negociar o que entra ou não no orçamento, cada um tem seu próprio desejo e urgência, que precisa ser cumprido, afinal de contas a maioria das pessoas, tem um orçamento limitado para “dar a volta ao mundo” em um determinado tempo. Para conseguir maior “liberdade” neste sentido é preciso trabalhar enquanto se viaja, Mas isto é assunto que merece um capitulo a parte.

 

Será que abordei todo o leque dos custos emocionais? acredito que uma boa parte. O mais importante é saber que ele existe e precisa ser considerado.

Você vai para uma aventura e quer que ela lhe traga as melhores memórias possíveis, se considerar todas as possibilidades provavelmente conseguirá este intuito.

Viver em um MotorHome pode ser maravilhoso, precisa no entanto trabalhar o desapego e encarar as “surpresas” com bom humor,

o caminho fatalmente traz muitas surpresas não planejadas, improvisação é necessário,

você está pronto para isso?

 

Obrigado a você que chegou até aqui. comentários/sugestões são bem vindos, duvidas angustias e traumas serão respondidos.

Se achar que o post é relevante, agradeço que você o compartilhe com amigos e conhecidos.

Até o próximo post, ele virá com certeza, este assunto ainda tem mais desdobramentos.

2 comentários em “Quanto custa viajar de MotorHome – parte 2

  • 5 de agosto de 2019 em 11:42 PM
    Permalink

    Bela postagem!. Nem tudo é maravilhoso,tem o lado negativo também como em tudo. Quando trata-se de um casal por um longo período,24 horas juntos em tão pouco espaço,é bom estar com o psicológico afinado!…Abraço!.

    Resposta
    • 5 de agosto de 2019 em 11:58 PM
      Permalink

      não ha duvidas de que a convivência 24/7 testa o relacionamento. abraço

      Resposta

Deixe uma resposta