conteúdo da página

CAT – o que mudou? o que ficou igual?

O que diz a nova resolução do Contran – CAT

 

Esta semana recebemos a notícia mais aguardada pelos Caravanistas – uma nova regulamentação a respeito do CAT, o que mudou?

Será que beneficiou o Caravanismo?

O pessoal está fazendo um grande alvoroço e interpretando a lei como melhor entende. Estão interpretando conforme a emoção e não estão lendo direito a regulamentação.

As normas não costumam ser exatamente conforme esperamos não é mesmo?

O melhor seria ter um pouco de paciência e aguardar para ver a evolução como acontece. Só que os ânimos entram em conflito. Então vamos a algumas observações.

A Boa nova está no art. 11, que trata da convalidação de todos os motores casa construídos até essa data. Ou seja, todos os MotorCasa documentados e emplacados até  hoje 24 novembro 2018, não precisarão apresentar CAT ou qualquer outra coisa para serem transferidos.

  • Para quem esta com a documentação resolvida e em ordem ficou muito bom, boa notícia para estados como por exemplo Paraná e o Rio Grande do Sul, vão conseguir transferir sem a burocracia que estavam enfrentando.

Agora se observarmos o artigo 3o.  e depois ler a Resolução CONTRAN 292/08.

Na verdade, para construir um MH e documenta-lo, nada mudou. Permanece o que já  estava vigorando.

Segue a vida exatamente como estava até este momento.

 

Se quiser ver a regulamentação, então segue o link.

 

 

2 comentários em “CAT – o que mudou? o que ficou igual?

  • 29 de novembro de 2018 em 00:47
    Permalink

    Art. 3º Toda modificação ou transformação realizada em veículos para tipo motorcasa deve ser precedida apenas da obtenção do Certificado de Segurança Veicular (CSV), nos termos da Resolução CONTRAN nº 292/08, ou sucedâneas, além de:

    I – A modificação deverá respeitar os pesos e capacidades previstos pelo fabricante do veículo utilizado como base, além dos pesos e dimensões previstos na Resolução CONTRAN nº 210/2006, ou sucedâneas;

    II – Não devem existir equipamentos, acessórios ou objetos soltos dentro do habitáculo do veículo, que apresentem risco de lesões para os ocupantes do veículo;

    III – Não devem existir equipamentos, acessórios ou objetos que atrapalhem o campo de visibilidade à frente do condutor e o campo de visão dos retrovisores externos. LI TODOS OS DEZESSETE ARTIGOS DA RESOLUÇÃO 292 DE 29/08/2018 E NÃO HÁ NADA QUE CAUSE DESCONFORMIDADE COM A ATUAL RESOLUÇÃO !!! A ÚNICA CONSIDERAÇÃO RESTRITIVA DA ATUAL RESOLUÇÃO ( 743) É QUANTO A NÃO PERMISSÃO PARA O COLOCAÇÃO DE QUALQUER CARGA NAS LATERAIS E TETO DOS VEÍCULOS. O ARTIGO 4 DESTA MESMA RESOLUÇÃO É O,ÚNICO QUE FAZ ALGUMA REFERENCIA A DATAS E DIZ O SEGUINTE : “Art. 4º Para as transformações ou modificações efetuadas a partir da entrada em vigor desta resolução, o Certificado de Registro de Veículos (CRV) e o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) deverão informar, obrigatoriamente, no campo observações, a lotação do motorcasa expressa em lugares, o PBT expresso em kg, e a CMT expressa em kg.” NO MAIS E LEVAREM SEUS VEÍCULOS PARA INSPEÇÃO E SEREM MUITO FELIZES !!!

    Resposta
    • 29 de novembro de 2018 em 12:45
      Permalink

      Estamos todos bem esperançosos, teremos que aguardar a forma como os Detrans que tem autonomia vão interpretar o que está escrito. Espero de todo coração que eles cooperem. E que a modificação de categoria seja mais simples, os aspirantes a caravanistas merecem.
      No entanto, alguns Detrans já estão pedindo paciência, até que o sistema deles seja alterado, o que só deve acontecer após março de 2019. São as notícias que estamos recebendo até este momento.

      Resposta

Deixe uma resposta