Visita a Pomerode.

A decisão de ir a Pomerode foi repentina, e como sempre, tudo o que planejamos assim, repentinamente é surpreendente.

Pomerode não poderia ser diferente, a visita ao encontro mais tradicional dos Motor Casa é Pomerode e nada poderia ter nos preparado para o que vivenciamos, fizemos novos amigos maravilhosos, vivemos por alguns dias uma realidade a parte, um mundo que poucos experimentam neste nosso sistema moderno, tranquilidade de estar em casa mesmo longe da cidade natal, é mesmo especial.

 

Um pouco sobre Pomerode e sua colonização.

Pomerode foi colonizada a partir de 1861, quando os primeiros imigrantes alemães decidiram subir um afluente do rio Itajaí-Açú a partir da região onde se localiza o bairro Badenfurt, em Blumenau. Liderados pelo colonizador Hackbarth, abriram picadas ao longo do curso do rio, que foi chamado Rio do Texto.

Como a maioria destes imigrantes era originária da Pomerânia (Pommernland, em alemão), a cidade recebeu o nome Pomerode – junção do radical Pommern e do verbo alemão roden, que significa roçar, tirar os tocos, tornar a terra apta ao cultivo.

Os primeiros imigrantes estabeleceram-se ao longo do Rio do Texto, colonizando a área em um sistema de minifúndios (pequenas fazendas), onde eram cultivados arroz, fumo, batata, mandioca, cana de açúcar, milho e feijão.

Os colonos também se dedicavam à criação de gado leiteiro e suíno, com matrizes trazidas da Europa.

A indústria só chegou no início do século XX, com empresas familiares de laticínios, embutidos, móveis e porcelanas.

Atualmente, a cidade conta com um parque industrial bastante diversificado, englobando indústrias têxteis, metal-mecânicas, de porcelanas, plásticos, brinquedos e alimentos, abastecendo o mercado nacional e externo com produtos de qualidade.

As tradições, culturas e costumes trazidos pelos imigrantes no século XIX estão presentes no cotidiano do município, onde os descendentes preservam com orgulho as raízes dos seus antepassados, inclusive a língua: cerca de 80% da população domina o idioma alemão.

Embora tenha desenvolvido um diversificado parque industrial, reconhecido internacionalmente, Pomerode não perdeu a sua característica rural e continua encantando pela sua natureza e qualidade de vida.

Bem, estas são apenas algumas informações que considerei relevantes para trazer a vocês, elas são transcritas do livreto que se encontra em pontos turísticos importantes da cidade, mais informações culturais e sobre o que fazer nos links abaixo.

pomerode sc gov br-Atrativos Turisticos

vida de turista

A viagem

Quando saímos rumo a Santa Catarina, saímos sem muita expectativa, o motivo que nos levou a participar do encontro em Pomerode foi por indicação de um amigo viajante que encontramos em Jaguariúna, Welington e assim decidimos que mesmo que nosso carro-casa não está pronto, está satisfatório para nos acomodar por alguns dias.

Foi uma viagem longa, levamos 10 horas para chegar ao encontro, (já sei, não se faz isso, mas somos novos, estamos aprendendo) já era final de tarde quando chegamos a Pomerode, mas enfim chegamos e fomos muito bem recepcionados pelo que vinha a ser o nosso padrinho, João José e a Graça, nosso número 313 e até o final do encontro já eram 507 carros-casas. Carinhosamente fomos convidados a nos associarmos ao grupo Roda Mundo e assim fizemos. Após o procedimento de recepção resolvido, fomos encaminhados ao local onde seria nosso cantinho especial até a data da partida. A ideia era ficar no máximo 3 dias, conhecer a cidade, saber um pouco mais sobre os carros, o que é importante para que possamos terminar nosso carro de forma mais adequada e os procedimentos na estrada, nada como um encontro com muitos outros viajantes para compartilhar experiências.

Na visita a cidade no sábado, não ficamos muito animados, apesar de ser uma gracinha, não é exatamente o que procuramos quando saímos para uma viagem. Ficou semi-decidido que na segunda feira seria um bom dia para então ou procurar outro lugar para ir ou voltar para casa, mal sabíamos que essa ideia seria rapidamente alterada.

O carinho que encontramos as amizades que formamos e as experiências trocadas são muito maiores do que é possível descrever aqui em poucas palavras.

Formou-se uma comunidade temporária maravilhosa. Conhecemos pessoas mesmo fantásticas, abertas e sem nenhuma dúvida alegres.

Conhecemos o Samambaia que tem um carro igual ao nosso e mais tarde também Paulo e Dani do Espírito Santo, globetrotters como nós, já recebemos imediatamente convite a conhecer Espirito Santo, e é claro que a vontade de ir imediatamente logo apareceu, com certeza iremos passar por lá.

Os vizinhos Rafael e Denise e o amigo Guido de Jaragua do Sul. Outros vizinhos Manuel e Marlene de Criciúma, já modificou 2 agrales como a nossa, ele alongou o carro, um em 80 cm e o outro em 1 metro e 20 cm, ficamos tentados, mas não, nosso carro está com um tamanho fantástico, tem tudo o que precisamos. Talvez trocar a porta de correr por uma porta normal, quem sabe. E a comunidade de donos de Agrale como o nosso continuou a crescer quando conhecemos o Walderley e sua esposa Rita, com os quais temos grande afinidade e amizade.

No jantar encontramos o sr. Francisco da Anacamp e já nos afiliamos a esse grupo também, tem a intenção de auxiliar os viajantes com informações relevantes a nível nacional de locais de pernoite e suporte mecânico.

E não é que reencontramos o amigo de Jaguariúna, “Welington”, um encontro rápido, mas muito gratificante.

Na sexta feira fizemos um churrasco entre vizinhos organizado pelo casal (corretor de seguros) Valmir e sua esposa Denise onde participaram todos os vizinhos mais próximos, neste churrasco teve violão, viola, triangulo, sanfona, bumbo, muito legal, conhecemos o casal Rogério e Ana, que foram até o Alasca ida e volta em seu motor casa Catnet, são conhecidos como casal gato, não deixe de visitar o blog a respeito da viagem ExtremoNorte2014. Não preciso dizer que foi muito interessante conhece-los visto que é nosso alvo principal.

E assim nossos dias em Pomerode foram cheios de compromissos diários e muita diversão com direito a música e festa.

Voltamos energizados e cheios de ideias novas para finalização do nosso querido Tortuga.

 

.

Deixe uma resposta